CAC & CLV – Fatores de sucesso Custo de Aquisição de um Cliente e Valor do Ciclo de Vida de um Cliente: Por que vale a pena se direcionar para o público jovem

Não existe negócio sem clientes. Para convencer novos clientes de um produto ou serviço, as empresas devem investir recursos para lucrar mais tarde. No artigo a seguir, mostraremos por que é lógico vincular os públicos-alvo à sua marca corporativa o mais cedo possível e por que você deve levar em consideração os fatores chave Custo de Aquisição de um Cliente e Valor do Ciclo de Vida de um Cliente em qualquer caso.

Custo de Aquisição de um Cliente e Valor do Ciclo de Vida de um Cliente – O que está por trás dos termos

Existem duas métricas principais em marketing e vendas: chamadas Custo de Aquisição de um Cliente (CAC) e Valor do Ciclo de Vida de um Cliente (LTV).

O primeiro descreve os custos de aquisição de um cliente – ou seja, os custos totais de marketing e vendas em relação a todos os novos clientes. Para calcular o CAC disso, na primeira etapa você deve determinar todos os custos de publicidade para um determinado mês. Isso inclui salários e qualquer bônus dos funcionários responsáveis. Então você divide o total pelo número de novos clientes ganhos.

Fórmula de CAC

Um exemplo de cálculo: adicione todos os custos por um determinado período de tempo, por exemplo, um mês, três meses ou um ano inteiro, dividindo-os pelo número de novos clientes durante esse período. Por exemplo, se você gasta 200.000 reais por mês e ganha 200 clientes, o CAC é de 1.000 reais.

O CLV em marketing é o valor que um cliente traz para um negócio durante a sua “vida de cliente”. Com esse valor de ganhos do cliente, suas atividades podem ser ajustadas com precisão ao respectivo segmento de clientes. Então pode ser a Geração Z. Por exemplo, faz sentido aceitar custos de aquisição mais altos para um grupo de clientes específico, pois esse grupo de clientes gera vendas acima da média a longo prazo.

Fórmula de CLV

Para obter o CLV é preciso multiplicar o valor médio das suas vendas (ticket médio) pela repetição média das vendas anuais (número de mensalidades). O total deve ser multiplicado pela média de anos de relacionamento com seus clientes.

Um exemplo de cálculo: se o ticket médio de venda de sua empresa é de 50 reais e cada cliente compra 12 vezes por ano uma vez por mês e os contratos duram, em média, 5 anos, o CLV é de 60 mil reais.

CAC e CLV no Early Branding – Por que você deve vincular os clientes a você o mais cedo possível

Quanto mais tempo os clientes gastarem em seu negócio, melhor. E a experiência mostra que quanto mais tempo uma empresa estiver ativa no mercado, melhor será o CAC. Duas boas razões pelas quais você deve tornar os possíveis públicos-alvo conscientes de seus produtos ou serviços o mais cedo possível – de preferência antes de se tornarem clientes.

Os estudantes geralmente não têm orçamento para trazer grandes lucros como clientes. O CAC inicial é, portanto, maior. No entanto, eles são influenciadores muito valiosos: se você conseguir convencê-los cedo do seu negócio, eles serão seus mensageiros, por exemplo, através de redes sociais para públicos-alvo mais abastados. Além disso, mais tarde você terá mais facilidade para transformá-los em clientes existentes. Com o Early Branding, você mata dois coelhos com uma só cajadada: reduz o custo de aquisição do cliente e aumenta o valor da vida útil do cliente.

Luta acirrada por públicos-alvo jovens

CAC e CLV te oferecem vantagens importantes. Porque com esses instrumentos, você pode calcular os custos de aquisição do cliente e o rendimento. Acima de tudo, use-os para medir o impacto do seu marketing em grupos de clientes mais jovens, como estudantes. Dados confiáveis ​​são particularmente importantes para eles. Afinal, eles são altamente disputados: à medida que a sociedade cresce, públicos-alvo mais jovens estão ficando cada vez menores. Portanto, seu objetivo deve ser tornar esse grupo de pessoas consciente de sua marca o mais cedo possível e vinculá-lo pelo tempo que for possível.